Produtora de conteúdo dá algumas dicas para pais de crianças que querem trabalhar com vídeos na internet
18/11/2020 14:22 em Mídia

As adolescentes Millena e Manu Maia produzem conteúdo para internet desde a infância, e cada vez mais, crianças estão interessadas em seguir esse caminho

Começar a produzir conteúdo nem plataformas digitais tem sido uma das maiores vontades das crianças nos últimos anos, isso porque o mundo digital traz inúmeras possibilidades que podem ser exploradas pelos pequenos. Mas ainda assim, é necessário ter cuidado com como essas produções são executadas e também com a exposição, que pode ocorrer.

As irmãs Millena e Manu Maia fazem parte do grupo de jovens talentos que conseguiu um bom espaço no YouTube e agora também no mundo da música, tudo isso com a ajuda dos pais, que sempre estiveram presentes e apoiando as meninas. “A criança é a protagonista do canal, então ela deve escolher o tipo de conteúdo que gostaria de apresentar, mas é papel dos pais acompanhar tudo de perto para auxiliá-los nas escolhas e nos caminhos”, Michelle Maia, mãe das meninas, esclarece.

Existem algumas dicas fundamentais para ajudar a crescer nesse ambiente e a primeira é a necessidade de buscar aprender, pois são diferentes ferramentas e as plataformas também podem apresentar funções mais complicadas. Um dos programas de edição recomendado por Michelle é o KineMaster, já que este oferece variedade em recursos e de fácil utilização para quem está começando.

Mas os cuidados também são necessários, afinal é importante preservar algumas questões, não somente das crianças, mas também da família. “A exposição é algo que faz parte dessa profissão, as pessoas querem acompanhar o dia a dia dos seus ídolos. Apesar de ser muito difícil esconder tudo, é bom tentar não mostrar demais. Nós evitamos a frente da casa, nome da rua, uniforme, nome ou a frente da escola, além de casas de amigos e familiares”, a mãe ressalta.

Uma dica para quem está começando é valorizar os seguidores reais. Não ficar só pensando em números. Além de não representarem números reais, também interferem em casos de conteúdo patrocinado, já que as marcas têm interesse em trabalhar com seguidores que realmente podem contribuir com o crescimento. É preferível ter uma quantidade menor de inscritos reais do que milhares de fantasmas.

A última dica é simples: investir em conteúdo de qualidade, com linguagem simples e temas que o público se atrai. A publicação também deve ser frequente, mas é ideal que essa não seja a principal preocupação. “Podemos dizer que não está errado o ‘quanto mais melhor’. Mas, acredito que ‘melhor que a quantidade é a qualidade’”, finaliza Michelle.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
Rádio ESPORTESNET