A CHANCE DA MINHA VIDA - COPINHA
09/01/2019 16:33 em Esportes

É a chance da minha vida! A copinha começou. 2019, o meu ano. Pra quem não sabe essa é a minha última chance, meu nome é João vim de uma família humilde, sem expectativa de virar jogador. No Pará não é fácil assim, não tem tantos clubes, aliás não é fácil em nenhum lugar. Assim como meu amigo Fessin machucado na chance da sua vida. É triste, mas é a realidade, a copinha não é fácil, e pra mim é pior ainda. Essa copa SP é muito mais que isso! É a chance da minha vida! A minha ùltima chance!

Naquela estreia junto do meu humilde clube do Pará, me vi estrear sem brilho com a vitória de 1xo. Já no segundo, campo lotado 5.000 pessoas, nunca tinha visto. Do outro lado o Corinthians era o adversário, medo era a palavra. 2x0, com os meus gols, acabaram com o medo e nos colocaram na próxima fase, a fase de mata a mata. A chance da minha vida ia ganhando cada vez capítulos, e naquela noite no mata a mata, ganhamos de 5x0, sim! 3 gols meus, um tal de "Réti-trique" que falam por aí.

Depois daquele jogo, treinamos e treinamos, nossa mente. Os outros começavam a olhar pra gente, com o mesmo medo que nos deixavam. Hoje, o pequeno clube do Pará ganhava fama e ia supreendendo, em uma competição em que um clube do Pará nunca foi de ganhar tanta expressão. Entrei naquele jogo, como todos da copinha. Mesmo que não fosse seria o último jogo da minha vida, a raça que tinhamos era diferente. Ninguém tinha! Mostramos isso nos já nos 3 minutos de jogo, gol, e meu. O que me tornava artilheiro da competição e me fazia realizar o meu sonho. Naquele primeiro tempo foi isso, 1x0 contra o grande São Paulo.

Segundo-tempo, começamos bem, mas logo depois sofremos uma tremenda pressão. Quase tomamos gol em várias oportunidades, mas Deus estava com a gente. Sentia minha mãezinha rezando lá do Pará, e funcionou. Mas funcionaria só até a última chance do jogo, em que eu sai em contra-ataque, buscando a artilharia isolada e a classificação na próxima fase. Contra o grande São Paulo, mas não foi assim. 2019 tinha tudo para ser o meu ano, mas aquela lesão me tirou do futebol. Perdi a chance da minha vida. E assim acabou minha história. Nem toda história acaba como esperamos assim como na Copinha.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
Rádio ESPORTESNET