Eleições 2018: Tem início os embates entre os presidenciáveis no primeiro turno
10/08/2018 05:48 em Política

A rede bandeirantes mantém tradição e inaugura rodada de debates para eleições presidenciais.

-São Paulo- Sem a presença de Lula, líder nas pesquisas, o Grupo Bandeirantes abriu suas portas para receber oito candidatos à presidência da república. O debate teve duração de 3 horas e aconteceu na sede da emissora em São Paulo, nessa quinta (09). A rede teve apoio do Google Trends, que gerou e mapeou todas as pesquisas na plataforma de pesquisa durante a realização do embate entre os presidenciáveis.
No decorrer das discussões os candidatos abordaram de maneira mais enfática os temas: Lava-Jato, emprego, banqueiros, educação e segurança pública. O cronograma foi dividido em blocos de confronto direto, onde candidato pergunta para candidato, e fases que os presidenciáveis eram questionados pelos jornalistas da casa.
O bloco de abertura foi marcado pelo discurso de cada candidato - apesar de, segundo as regras, deverem responder as perguntas enviadas pelos leitores do jornal MetroNews, de distribuição gratuita. No decorrer se teve início ao confronte direto dos candidatos, que marcou o encontro de Jair Bolsonaro e Guilherme Boulos.
Os candidatos que representam os extremos em todas as linhas de pensamento, fizeram com que a primeira parte do debate ganhasse tons fortes. Boulos direcionou sua pergunta até o ex-general. A questão se tratava do auxílio moradia que o candidato recebe, apesar de ter um apartamento em Brasília. Bolsonaro retrucou o candidato do PSOL, acusando-o de liderar uma facção criminosa, se referindo ao MTST movimento que é presidido por Guilherme.
LEGADO INFELIZ
Como um pecado feito às escondidas, os apoiadores de Temer empurraram o legado do governo "patinho feinho", assumir responsabilidade na trama medebista pode custar o preço de toda uma campanha. Meirelles sofre com a ligação com Michel e sua história como banqueiro no cenário internacional.
Alckmin por sua vez amarga a imagem negativa do PSDB acumulada com o apoio que o partido cedeu ao atual governo em algumas pautas como a reforma trabalhista, que é motivo de honra para o psdbista.
MORNO POR SER TARDIO
Apesar dos momentos quentes de Bolsonaro e Boulos, e uma ironia de Ciro Gomes em relação a Bolsonaro, o clima do debate foi predominantemente morno. Com a campanha curta e indefinições até a última semana, fizeram com que as propostas ficassem veladas para o desenrolar dos próximos capítulos.
Essa quinta foi fundamental na estratégia eleitoral de candidatos que não vêm pontuando nas pesquisas. É o caso do Deputado Cabo Daciolo, que teve a primeira oportunidade de ser visto pela grande mídia e acabou viralizando nas redes sociais por conta das teorias "conspirativas" como a fraude nas urnas eletrônicas.
Já o senador Álvaro Dias (PODEMOS) utilizou o apoio incondicional a "lava-jato" como estratégia maior nessa primeira exibição. A ligação seria tão forte que, segundo ele, o Juiz Sérgio Moro seria seu ministro da justiça.
TEM VENCEDOR?
Considerar um vencedor numa disputa tão fragmentada e tão crua como se viu no debate dessa noite é complicado. Algumas peças mostraram tranquilidade e capacidade de argumentação, caso maior de Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, que mantiveram a calma até em momentos que foram questionados.
No imaginário binário do leitor teria que vir um perdedor para fechar a matéria, porém, penso que "atuação fraca" caia melhor. Nesses postos os colocados são Marina Silva e Henrique Meirelles. Marina chegou na fase de "comprovação" política da carreira, por a prova mais uma vez seu potencial para ser presidente, mesmo que na terceira eleição disputada.
Já Meirelles, que é respeitado e têm larga experiência no campo econômico, mostrou total despreparo para ser candidato, para qualquer cargo. Sofreu várias críticas pela atuação nos últimos dois anos dentro do governo Temer e não conseguiu dar clareza nas suas respostas, isso é uma fragilidade importante e deve ser um "calcanhar de Aquiles" para o Medebista.

Por Enio Ricanelo

 

Por Enio Ricanelo

COMENTÁRIOS
Rádio ESPORTESNET